logo_jcom11a.gif (5213 bytes)

Domingo, 25 e Segunda-Feira, 26 de Março de 2001

Seu Negócio

Lugar de serviço é no shopping center
Organização de eventos, lavanderias e gráficas são os mais procurados

José Pinheiro Júnior

Gráficas rápidas, lavanderias e promoção de eventos são algumas das atividades empresariais do setor de serviços que estão entre as de maior potencial para instalação nos shopping centers do Rio. O mercado carioca caminha, agora, para a valorização de espaços comerciais onde os consumidores possam resolver problemas como pequenos consertos ou lavagem de roupas.


A Barra da Tijuca e a Zona Sul surgem como as áreas mais indicadas para a instalação destes serviços que podem envolver um investimento inicial que chega a R$ 80 mil.

Consultores empresariais, porém, recomendam muito cuidado na hora de optar entre as inúmeras alternativas e destacam a importância de um estudo de viabilidade técnica e financeira antes da instalação de uma loja ou quiosque em shopping centers. Uma loja poderá ser bem recebida quando instalada em um bairro, mas ser rejeitada em outro.

Serviços como lavanderias e centros de éstetica, por exemplo, têm boa aceitação na Barra da Tijuca e na Zona Sul, mas dificilmente teriam um bom desempenho nas demais regiões do Rio.

- O estudo de viabilidade é o primeiro passo para que o candidato a empresário saiba que serviço instalar e em qual área será instalado. Há inúmeras possibilidades e, geralmente, o próprio shopping tem interesse em determinadas atividades e já sabe o que poderá render muitos clientes ou não - explica o consultor da Acomp Consultoria e Treinamento, Antônio César Carvalho de Oliveira.

Antônio César aponta as empresas de organização de eventos como uma das melhores alternativas do momento para a atuação nos shopping, com a condição de que tenham criatividade para apresentar um cronograma de atividades que agrade aos lojistas e aos clientes. Uma empresa deste tipo não precisa de uma loja fixa e ainda pode atuar em diversos centros de comércio e consumo espalhados pela cidade.

- Este gênero de empresário poderá organizar atividades como shows, exposições e eventos ligados ao público infantil, por exemplo. Com quatro ou cinco funcionários e um investimento inicial de R$ 15 mil já é possível atuar no ramo e ainda faturar bastante sem os custos que normalmente existem com a compra ou o aluguel de uma loja, mesmo que de pequeno porte - garante Antônio César Carvalho.

Negócios promissores

Outras áreas de potencial seriam sapatarias (com conserto de calçados e bolsas); lavanderias; agências de viagem e cyber cafés. Neste últimos, há a necessidade de tecnologia e mão-de-obra habilitada, além de micros para uso dos clientes que queiram navegar pela Internet. Escritórios de advocacia e consultórios dentários também estão ocupando mais espaços.

O consultor da Acomp também cita farmácias de manipulação e centros de estética como outras boas opções de negócio no setor de serviços que têm interessado às superintendências dos shopping do Rio.

A Barra da Tijuca tem registrado a maior procura por serviços e não por lojas de varejo. O bairro está montando uma infra-estrutura e os shopping, segundo os consultores, podem aproveitar esta tendência para captar mais clientes.

- Uma lavanderia realmente tem sido muito requerida, mas principalmente na Zona Zul e na Barra da Tijuca, onde há uma cultura de levar roupas para estes locais que propiciam rapidez e eficiência. Na Zona Norte isto já não funcionaria, devido às características dos próprios consumidores. Uma empresa do gênero demanda um investimento inicial que pode ser superior a R$ 80 mil, não contando a compra da loja, mas permite um faturamento superior a R$ 20 mil mensais - adianta o consultor.

A instalação de uma sapataria especializada em consertos demanda um investimento inicial de R$ 30 mil, não contando o ponto comercial e o faturamento pode superar a R$ 15 mil mensais, com um capital de giro mensal de R$ 5 mil e três funcionários.

A qualidade e a rapidez no atendimento são, segundo os consultores do mercado, alguns dos pré-requisitos de quem planeja entrar no ramo pela porta dos shopping centers.

A representante do departamento de marketing do Quality Shopping,em Jacarepaguá, Íris Oliveira, acredita que o caminho dos serviços é uma tendência firme nos shopping. Aberto em novembro, o shopping tem 250 espaços comerciais e 95 vagas para os interessados na parte de serviços. Já tem curso de inglês, uma copiadora e cabeleireiro além de quiosques de alimentação e venda de bijouterias.

- É claro que ainda temos espaço para outros serviços e as propostas serão analisadas de acordo com as possibilidades de lucratividade do negócio e de interesse por parte de nossos clientes. A área de serviços é uma das prioridades do Quality Shopping - destaca Íris Oliveira.

Franquia é opção

A gerente de marketing do Downtown, na Barra da Tijuca, Marisa Amaro, também enfatiza a importância dos serviços no interior dos shopping. O Downtown tem 1,3 mil espaços para lojas e cerca de mil já estão ocupados. Deste total, 80% das empresas são do setor de serviços.

- Já temos médicos, dentistas e laboratórios, além de acessos à Internet e alimentação. O custo do condomínio fica em torno de R$ 9 e R$ 10 o metro quadrado e acreditamos que lojas como lavanderias, pet shops, consertos eletrônicos e gráficas são sempre bem vindos nos shopping - diz Marisa Amaro.

O superintendente do Barra Square, Sérgio Navegantes, administra um shopping no qual 96% das 84 unidades destinadas ao varejo e 90% das indicadas para o segmento de serviços já estão ocupadas - maior taxa de ocupação da Barra da Tijuca.

Ele adianta que está buscando serviços de chaveiro e lavanderias para a implantação no Barra Square, além de um posto de atendimento para serviços públicos como pagamento de contas e impostos como o IPTU, por exemplo.

- Já temos o maior centro oftalmológico da Barra, com nove salas, advogados, clínicas de estética e consertos na área de eletrônica. Já inauguramos também uma unidade de lavagem de carro a seco e também estamos atrás de uma sapataria que faça consertos - informa Sérgio Navegantes.

Sérgio Navegantes destaca que o Barra Square tem uma dupla vocação, para serviços e varejo, e procura equilibrar as opções oferecidas aos clientes, sempre muito exigentes e em busca de qualidade. "Temos até mesmo dois teatros e priorizamos a qualidade em termos de serviços, para que os clientes possam ter conforto e tranquilidade para resolver uma série de questões de seu dia a dia", conclui Navegantes.

Antônio César Carvalho de Oliveira lembra que os interessados em abrir um negócio no setor de serviços em shopping também podem optar por franquias com marcas já com força no mercado e que poderiam assegurar uma afinidade mais imediata com os consumidores.

- É claro que isto aumentaria o investimento, pois seria necessário pagar logo de cara a taxa de franquia, mas a força do nome sempre tem uma importância, se isto for atestato através de pesquisas e aceito como a melhor opção para um determinado bairro ou unidade comercial - completa o consultor da Acomp.

Outros shopping com vocação de serviços são, por exemplo, Barra Garden; Città América; Bay Side e West Shopping. O Bay Side ainda tem espaços disponíveis para novas unidades no setor de serviços, inclusive para sapateiros, laboratório de análises e outros itens.

Serviço:

Acomp Consultoria e Treinamento: 445-5444 e site www.acomp.com.br
Quality Shopping - 436-7128 e 436-7129
Downtown - 494-7072
Barra Square - 430-7000

Serviços em alta

• Gráficas rápidas
• Promoção de eventos
• Lavanderias (principalmente na Barra da Tijuca e na Zona Sul)
• Centros de estética
• Chaveiros
• Farmácias de manipulação
• Agências de viagem
• Casas lotéricas (mais indicada para o Centro e a Zona Norte)
• Clínicas médicas
• Consultórios dentários
• Escritórios de advocacia

RAIO X

Empresa de promoção de eventos

• Investimento inicial: R$ 15 mil
• Faturamento: até R$ 15 mil mensais
• Capital de giro: cerca de R$ 5 mil mensais
• Funcionários: pelo menos quatro
• Área mínima: um escritório com 30 metros quadrados

Lavanderia

• Investimento inicial: R$ 80 mil, sem contar o ponto
• Faturamento: mais de R$ 20 mil mensais
• Capital de giro: R$ 10 mil mensais
• Funcionários: no mínimo 5, mais se a empresa trabalhar com delivery
• Área: 50 metros quadrados

Sapataria (consertos em calçados)

• Investimento inicial: R$ 30 mil, sem contar o ponto
• Faturamento: superior a R$ 10 mil mensais
• Capital de giro: R$ 5 mil mensais
• Funcionários: 3
• Área: 30 metros quadrados

Chaveiro

• Investimento inicial: R$ 10 mil
• Faturamento: até R$ 10 mil mensais
• Capital de giro: até R$ 3 mil mensais
• Funcionários: 1
• Área: 6 metros quadrados (um quiosque)

 

Clique aqui para conhecer os Serviços da ACOMP


ACOMP Consultoria e Treinamento
Tel. 55 (21) 2445-5444 - www.acomp.com.br

O site do Empresário !