logo_jcom11a.gif (5213 bytes)

Domingo, 8 e Segunda-feira, 9 de abril de 2001

Oportunidades

Sob medida para o crédito
Sebrae orienta a criação de empresas, automação e capital de giro

Giselle Andrade e Gisela Alvares


Os pequenos e microempresários conquistaram mais uma linha de crédito - de até 50 mil - para financiar novos negócios ou dar suporte aos que foram criados nos últimos 12 meses. Trata-se do Programa de Crédito Orientado para Novos Empreendedores, desenvolvido dentro do Programa Brasil Empreendedor, do Sebrae, e lançado recentemente pelo Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alcides Tápias. O programa prevê a destinação de R$ 200 milhões para 5 mil pequenos empresários.

O projeto nasceu para atender a clientela de empreendedores em potencial e de empresários que iniciam negócios e esbarram na dificuldade de acesso ao crédito no Brasil, determinada, basicamente, pela legislação que trata deste assunto, e pela exigência de garantias. O Programa financia a implantação, reforma ou modernização de empreendimentos formais e informais, compreendendo investimentos fixos, aquisição de máquinas e equipamentos e capital de giro.

Ser um dos 5 mil selecionados pelo Sebrae depende de comprovação da competência de empreeendedor do beneficiário final, traduzida através do plano de negócios, curso de capacitação e pelas respostas ao questionário à disposição no site do Sebrae.

Os que se associarem ao programa terão a oportunidade de analisar o setor em que pretendem investir. Desta forma, conseguirão saber se há mercado para os seus produtos ou serviços. O processo de aprendizado identifica se existe a vocação de empreendedor, quesito indispensável à aprovação do crédito neste novo sistema.

Estar habilitado ao programa para novos empreendedores significa conhecer o termo de compromisso e preencher a carta consulta. O processo de seleção avaliará inicialmente as possibilidades de empreender, concepção de negócio e a situação junto ao SPC, CADIN, SERASA e COF. Se houver restrições nestes órgãos, o candidato será eliminado ao chegar o momento de obter o empréstimo, mesmo que tenha obtido bom resultado durante o processo seletivo.

Cursos

A etapa seguinte consiste em capacitar os inscritos em cursos de 80 horas, com conteúdo voltado ao empreendedorismo, mercado e finanças. Apenas os que alcançarem classificação (aproveitamento o frequência), passam à terceira fase. Nesta, aprendem como elaborar o Plano de Negócios, a partir de modelo padrão, e que se constituirá na própria proposta de crédito que será submetida aos bancos.

Os planos - cujo custo é de 1% do valor a ser liberado - serão analisados por um Comitê Estadual de Aprovação e os que forem confirmados estarão aptos ao empréstimo. Conquistado o crédito, o empresário recebe assessoramento técnico, custeado pelos participantes.

O limite de financiamento é de 90% do valor do negócio proposto pelo empresário. Os juros, de 3% ao ano, mais a Taxa de Juros a Longo Prazo (TJLP). O capital de giro é limitado em 50% ao que foi emprestado e o prazo máximo de financiamento, de sete anos. As instituições oficiais que participam do Programa são Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica Federal.

- O fechamento de empresas novas é uma situação corriqueira porque os pequenos não têm como arcar com as exigências feitas pelos bancos. O Sebrae quer viabilizar idéias que possam gerar emprego e renda - afirmou a gerente de Treinamento e Cultura Empreendedora do Sebrae-RJ, Maria Helena Pinto, lembrando que o programa não financia franquias ou mão-de-obra, a não ser quando for parte de projeto de crescimento ou modernização da empresa.

O Técnico do Sebrae Nacional, Raimundo Nunes Pereira, lembra que as inscrições já podem ser feitas e serão encerradas no dia 30 de abril. O interessado preencherá a carta consulta com 80 perguntas, que identificará a competência do empreendedor em administrar o negócio.

O processo de seleção do Sebrae começa dia 4 de maio. Os aprovados serão preparados para as entrevistas, dia 15 de maio, com os agentes financeiros. Em 21 de maio será formada a primeira turma do curso de capacitação, ministrado pelo Sebrae. Serão 80 horas de aulas práticas e teóricas. Segundo Nunes, o empreendedor completará 40 horas na primeira semana. Em seguida, será preparado para elaborar o plano de negócios, após o qual, retornará para a sala de aula e terá mais 40 horas de curso.

Plano de negócios

Ao todo, são 120 horas de capacitação e quem obtiver 90% de participação estará habilitado a iniciar o plano de negócios, o que deve acontecer em 16 de junho, segundo previsão de Nunes. - Os empresários agendarão um horário para que o Sebrae auxilie e oriente em caso de dúvida.

Não será a instituição e sim o próprio candidato que montará o Plano de Negócios para conquistar o crédito. Para capacitar-se, o empreendedor pagará uma quantia de R$ 100, que será reembolsada pela consultoria - instrui Nunes. Ele acrescenta que o Sebrae Nacional está buscando parceria com a Confederação dos Jovens Empresários para realizar palestras em universidades e escolas com objetivo de estimular nos estudantes o espírito do empreendedorismo.

Pessoas de qualquer área podem ter acesso ao crédito, afirma Marcia Martins Alves, diretora do setor de micro, pequena e média empresa do Ministério do Desenvolvimento. Ela diz que o programa não estabelece setores específicas.

Não existe garantia, destaca Marcia. Os recursos virão do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Fat) em conjunto com o Fundo de Aval para a Geração de Emprego e Renda (FUNPROGER), órgão ligado ao Fat; e do Fundo de Aval para as Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (FAMPE), do Sebrae.

- Mesmo sem apresentar garantias, o empresário que não consiga cumprir com o compromisso, terá o processo liquidado na forma de crédito normal a ser combinada com a instituição financeira - informa Marcia.

O Sebrae vai dispor de um técnico para cada 15 empreendedores. A ficha informará o número de empregos que serão gerados. "Não temos esta estimativa sobre novos postos de trabalho, mas cada empresa aberta representa menos um desempregado no Brasil. Isso é importante", expõe.

O projeto foi fundamentado de acordo com a experiência de planos executados em outros países. "É pioneiro no Brasil. Há uma dificuldade de conceder crédito ao microempresário, pois a pessoa que nunca empreendeu é classificada pela instituição financeira como de alto risco", define Marcia. Ela acrescenta que o programa terá continuidade e será ampliado no próximo ano.

Serviço:

Sebrae/RJ: 524-2163 ou 0800-992030
Sebrae Nacional: 0xx61348-7375
Ministério do Desenvolvimento: 0xx61-329-7095
Zaide Tortas e Salgados: 426-8624
Acomp - Consultoria e Treinamento: 445-5444 e site www.acomp.com.br

Programa estimula criação de negócios

Eduardo Silva Marques, de 34 anos, é um dos 839 inscritos no Programa Novos Empreendedores, em todo o País. Ex-funcionário público, pensa em, finalmente, abrir a própria empresa em parceria com o cunhado. Os juros de 3% ao ano foram o grande atrativo. "Neste sistema, é possível começar a pensar em abrir um negócio", diz.

Criar cabras para vender o leite e derivados é a meta de Marques. O interesse por este tipo de negócio surgiu depois de uma breve pesquisa no comércio, carente de produtos do gênero. "Minha sobrinha é alérgica a leite de vaca e quando fui comprar o leite de cabra, custei a encontrar. Além disso, a criação destes animais é relativamente simples e posso produzir alimentos e cosméticos como sabonetes e hidratantes. Creio que este é um mercado que ainda vai crescer muito", comenta.

A empresária Zaíde Pinheiro de Almeida, proprietária da Zaide Tortas e Salgados, e ex-funcionária do Ministério da Saúde, já passou pela experiência de conseguir um financiamento de R$ 8 mil para abrir empresa através do Programa do Brasil Empreendedor. Com o dinheiro, comprou máquinas e equipamentos para sua loja, aberta há dois meses. A quantia de R$ 15 mil usada para abrir a loja de tortas foi proveniente de capital próprio (Programa de Demissão Voluntária).

- Eles analisam o plano de negócios e preparam o empreendedor para gerenciar a empresa. Para adquirir a quantia necessária passei pelo curso de capacitação do Sebrae/Rj e obtive toda a orientação necessária para realizar o meu Plano de Negócios - explica Zaíde.

O crédito solicitado por Zaíde foi concedido pelo Banco do Brasil após 4 meses da entrega do plano. "O empresário realiza a compra das máquinas e equipamentos, entrega a nota fiscal ao Banco, que efetua o pagamento. É simples. No meu caso não exigiram fiador, coloquei meu carro como garantia", esclarece.

Como obter o dinheiro para sua idéia

Oito passos até o financiamento


1. O candidato se inscreverá, até 30 de abril, em um dos postos de atendimento do Sebrae ou através da Internet, preenchendo o formulário disponível no site www.sebrae.com.br
2. Preenchida a ficha, o empreendedor participará de palestra sobre o programa
3. O agente empresarial faz a verificação cadastral
4. O candidato participará do curso "Orientação para crédito", promovido pelo Sebrae, com duração de 16 horas/aula
5. Capacitado e com cadastro aprovado, o empreendedor passa à fase seguinte, que consiste na elaboração do plano de negócios da empresa, que é a própria proposta a ser enviada aos bancos que integram o programa e cujo custo é de 1% sobre o valor liberado pela instituição financeira
6. O projeto será analisado pelo agente financeiro
7. Contratação do crédito. O prazo para liberação do dinheiro na conta do cliente é de 21 dias a partir da entrega do plano de negócios na instituição financeira
8. Acompanhamento do desenvolvimento dos projetos nas empresas pelos agentes empresariais para aprofundar questões relativas à gestão, produção e mercado. As consultorias serão individuais ou coletivas. A consultoria visa corrigir eventuais distorções e verificar a possibilidade de alavancar o empreendimento

Sugestões de negócios

De R$ 5 mil a R$ 10 mil: confecção; fábrica de velas decorativas; embalagens para presentes
De R$ 10 mil a R$ 20 mil: quiosques de bijuterias e carimbos, e floricultura; loja de doces
De R$ 20 mil a R$ 30 mil: serralheria; oficina para reparo em eletrônica; quiosques dentro de lojas;
De R$ 30 mil a R$ 50 mil: lojas de produtos de informática; comércio de produtos esotéricos; instrumentos musicais; produtos para pesca; empresa de maquetes

Obs: Os valores não incluem o ponto comercial

Fontes: consultores

 

Clique aqui para conhecer os Serviços da ACOMP


ACOMP Consultoria e Treinamento
Tel. 55 (21) 2445-5444 - www.acomp.com.br

O site do Empresário !