Sábado, 7 de dezembro de 2002.



MUDANÇA


Variedade de serviços e artigos vem crescendo, especialmente nos grandes centros

Nem só de pão vivem as padarias

YUKI YOKOI

Já se foi o tempo em que o pão era o artigo dominante nas padarias. Lojas do setor estão mudando de perfil para conquistar cada vez mais clientes e agora já oferecem, além dos tradicionais produtos de primeira necessidade, artigos importados, vinhos, frios nobres, além de estarem ampliando seus espaços.

Segundo o Sindicato das Indústrias Panificadoras de São Paulo, somente em 2002, houve um acréscimo de 30% nos pedidos de financiamento por empresários do setor, a fim de promover reformas nas lojas. No Rio, o acréscimo chegou a 18%, segundo Antônio Borges, presidente da Associação Panificadora do Estado do Rio de Janeiro.

- No entanto, antes de fazer um investimento, cada lojista deve fazer um estudo para identificar as necessidades de sua área. Um conselho que sempre damos é o de nunca tentar disputar com os supermercados. O diferencial da padaria deve ser o atendimento personalizado, pois o contato com o cliente é mais próximo - diz Borges.

O presidente da associação destaca ainda que não há espaço para que todos os lojistas se transformem em grandes padarias. De acordo com Borges, estabelecimentos localizados em grandes centros podem oferecer refeições rápidas e café da manhã, por exemplo. Os revendedores de cigarro podem ainda investir em charutarias e balcões de café. Nas cidades de interior, as padarias podem estar acopladas às lojas de conveniência.

Modelo único de padaria em nova Friburgo

Modelo único de padaria no Estado, segundo afirma Borges, a Superpão, em Nova Friburgo, inaugurou sua nova sede no mês passado. A padaria, até então com 300 metros quadrados, 70 funcionários e 900 produtos, passou a ter quatro pavimentos, 140 postos de trabalho, 3 mil metros quadrados, além de disponibilizar 1,8 mil itens.

- A Superpão é um modelo porque foi a precursora na preocupação do atendimento de qualidade em todos os níveis. Além do clima da cidade, que incentiva o consumo do pão, a loja concentra público das classes A e B, que valorizam este tipo de serviço. No entanto, é necessário ter cuidado ao fazer grandes investimentos. A loja aumenta, mas as despesas também - comenta Borges.

Consciente do investimento, Olney Ribeiro Botelho, proprietário do negócio, espera efetuar cerca de 8 mil atendimentos diários, dobrando a média da padaria antes da reforma. "Antes, percebia que os clientes poderiam sair ainda mais satisfeitos. O último pavimento é um estacionamento com capacidade diária de 350 veículos. No salão, agora climatizado, temos padaria, confeitaria, lanchonete, gelateria, hortifruti e empório, além de produtos importados, pães finos e tortas especiais", conta Botelho.


Oliveira: Muitas vezes, apenas o investimento
em ar-condicionado é suficiente

Apesar da exigência do mercado por lojas cada vez mais completas, Antônio César Carvalho de Oliveira, professor e diretor da Acomp Consultoria, revela que este movimento das padarias no sentido da ampliação de produtos e serviços é natural, principalmente diante do crescimento das lojas dos grandes supermercados.

De acordo com Oliveira, lojas direcionadas a público classe A tendem a investir em delicatessen, público B, no sortimento de produtos em geral, enquanto os estabelecimentos voltados à classe C podem ampliar o negócio disponibilizando artigos de primeira necessidade.

Pesquisa de mercado é imprescindível

- Fazer pesquisa de mercado é fundamental. Muitas vezes, apenas o investimento em ar-condicionado já é suficiente. Em outros casos, uma reforma nas instalações e no layout também podem atrair mais público. Outra alternativa ao investimento em seções variadas é a adoção de vidros no setor de produção, deixa o visual mais limpo e o cliente pode observar a fabricação do produto - afirma Oliveira.

A padaria Bread Winner, em Copacabana, também passou por reformas e ampliou as instalações há um ano. "Com um ambiente mais agradável e prático, o volume de clientes aumentou cerca de 30%", diz o gerente José Caetano.

Os lojistas interessados em ampliar e diversificar o negócio têm como opção efetuar reformas nas instalações, climatizar a padaria, oferecer estacionamento e ainda incrementar o mix de produtos com seções de doces, mini-mercado, hortifruti, laticínios, frios, bebidas, artigos importados, congelados e até mesmo implantando uma charutaria.

FIQUE POR DENTRO

A tendência das padarias

>> Boutique - Localizadas em regiões com alto poder aquisitivo, concentradas em produtos próprios e importados.

>> Serviço - Localizadas em regiões centrais e ruas com grande circulação e concentração de lojas comerciais ou escritórios. Além dos produtos de padaria, confeitaria e rotisserie, oferecem serviços de bar, lanchonete e fast food.

>> Conveniência - Localizadas em bairros residenciais. Além dos produtos próprios: padaria, confeitaria, rotisserie e serviços de bar e lanchonete, oferecem uma gama de produtos de conveniência, chegando algumas a oferecer cerca de 3 mil itens.

>> Pontos quentes - Tendência européia em que a padaria abre uma filial, envia alguns tipos de pães embalados e outros tipos congelados (ou resfriados) para serem assados no ponto quente. Não há necessidade de grandes espaços, pois não há setor de produção, e o de estoque é de reposição diária. Utiliza pouca mão de obra.

Opções de investimento

>> Dependendo da necessidade do cliente, do capital a ser investido e da localização da loja, o comerciante pode:
>> Ampliar o espaço.
>> Climatizar o ambiente.
>> Implantar cafeteria e charutaria.
>> Oferecer seção de hortifruti, mini-mercado, bomboniere, lanchonete, fast food, laticínios, congelados, pães nobres, importados e bebidas.
>> Disponibilizar estacionamento.

Fonte: Sindipan

 

Clique aqui para conhecer os Serviços da ACOMP


ACOMP Consultoria e Treinamento
Tel. 55 (21) 2445-5444 - www.acomp.com.br

O site do Empresário !