logo_jcom11a.gif (5213 bytes)

Terça-feira, 6 de Março de 2001

Suas Contas

Cursos extras dos filhos
Gasto com educação não deve passar de 10% do orçamento

Cintia Magalhães e Viviane Ferreira


Definir quanto gastar em cursos extracurriculares para os filhos é uma tarefa complicada até para os consultores de finanças pessoais. Primeiro, porque acham difícil determinar o percentual do orçamento destinado a educação, investido em aulas de idiomas, informática e atividades físicas. O outro ponto está relacionado à quantidade de atividades oferecidas pelo mercado e que acaba deixando os pais e as crianças perdidos. Mas todos os gastos extras devem ser organizados e definidos para que não comprometam o orçamento familiar.

Se um casal com dois filhos, com renda de R$ 5 mil, gasta R$ 150 em cursos de línguas estrangeiras, mais R$ 79 em aulas de informática e R$ 116,80 com natação para cada um dos filhos, terá que pagar R$ 345,80 por mês apenas em cursos extracurriculares. Ou seja, mensalmente o casal compromete 13,83% do orçamento apenas nas atividades fora da escola para as duas crianças.

De acordo com estudos do Centro de Orientação de Finanças Pessoais - Forex, um filho deve comprometer cerca de 15% da renda familiar, sendo que 10% somente com educação, incluindo escola, cursos, livros, transporte e outros gastos.

Por isso que o vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel José Ribeiro de Oliveira, afirma que é difícil determinar que percentual do orçamento pode ser gasto com atividades extracurriculares. "Depende do tipo de gastos que cada família tem", ressalta.

Avaliação de prioridade

- Diante de uma despesa muito grande, pode ser a hora de avaliar se determinado curso realmente acrescenta alguma coisa ao currículo do filho - alerta Ribeiro de Oliveira. Na hora de estabelecer prioridades, o vice-presidente da Anefac lembra que cursos de línguas e de informática vão, futuramente, agregar valor ao currículo dos filhos, quando eles entrarem no mercado de trabalho.

Antônio César Carvalho de Oliveira, diretor da Acomp Consultoria e Treinamento, considera que, na escala de prioridades, informática e Internet aparecem na frente dos cursos de línguas. "Hoje, todas as profissões exigem que a pessoa saiba utilizar o microcomputador", diz o diretor da Acomp. Antônio César destaca ainda que navegar na Internet permite que a pessoa aprenda, sozinha, sobre diversos assuntos. Nesta mesma escala de prioridades, entre os cursos de idiomas, em primeiro lugar vem o inglês e depois o espanhol.

- Estamos na era do conhecimento, o que significa que uma grande quantidade de informações são exigidas do profissional além da formação específica, da graduação normal - ressalta Antônio César.

Um outro aspecto é destacado por Miguel José Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Anefac, que levanta a importância da escolha de cursos com nome no mercado. "É melhor pagar um pouco mais caro por um bom curso do que lotar a agenda do filho de atividades que não têm nenhum valor", diz Ribeiro de Oliveira. "Quantidade não é sinônimo de qualidade", conclui o vice-presidente da Anefac.

Os preços devem ser analisados de acordo com o que os pais estão buscando para os seus filhos e que também estejam dentro do orçamento do casal. Cursos de inglês em estabelecimentos como o Instituto Brasil Estados Unidos (Ibeu) e a Cultura Inglesa, podem custar de R$ 750 a R$ 900, em média, por período.

Nos cursos de Informática, como Logics Ensino de Informática e Bit Company Cursos de Informática, o pacote incluindo Windows, Word, Excel e Power Point pode custar de R$ 260 a R$ 553 (sete parcelas de R$ 79).

Valor agregado ao currículo
Pela mensalidade da natação, para aulas duas vezes por semana, os pais podem desembolsar valores como R$ 86 (Academia Djan Madruga, no Recreio dos Bandeirantes) e R$ 116,80 (Escola de Natação Estilo, na Tijuca, com matrícula a R$ 35).

Para ajudar aos pais planejar melhor a educação de seus filhos, o InvestShop.com (www.investshop.com.br), e o Forex, Centro Brasileiro de Orientação de Finanças Pessoais, prepararam uma calculadora que mostra quanto realmente custa educar um filho.

A ferramenta é útil para se adaptar também aos aumentos de preços de cursos e materiais. Com a calculadora é possível calcular o real impacto de, por exemplo, 5% de aumento na mensalidade, material escolar, transporte, entre outros. Os analistas lembram que o percentual que de início parece pequeno, pode pesar no orçamento do final do mês.

Uma outra comodidade que o InvestShop.com oferece é a calculadora de formação dos filhos. Ela mostra quanto será preciso reservar mensalmente para garantir a educação universitária das crianças. Por exemplo, se um casal investir durante 15 anos pensando na formação superior de seu filho, deve fornecer as seguintes informações: valor da mensalidade (R$ 700), gastos adicionais (R$ 250 com livros e transporte), anos de faculdade (4) e rentabilidade do valor aplicado (1%). A ferramenta mostra que os pais precisarão acumular R$ 45.600 e, para financiar os estudos da crianças, será necessário investir R$ 90,37 todo mês.
A ferramenta está disponível no endereço: http://www.investshop.com.br/sbo/calc/educacao.asp

Serviço:
Instituto Brasil Estados Unidos - 548-8430 (Copacabana)
Cultura Inglesa - 294-6849 (Jardim Botânico)
Logics Ensino de Informática - 225-2292 (Largo do Machado)
Bit Company Cursos de Informática - 541-2911 (Botafogo)
Academia Djan Madruga - 490-4200
Escola de Natação Estilo - 567-8440 (Tijuca)

 

Clique aqui para conhecer os Serviços da ACOMP


ACOMP Consultoria e Treinamento
Tel. 55 (21) 2445-5444 - www.acomp.com.br

O site do Empresário !