logo_jcom11a.gif (5213 bytes)

Domingo, 4, e segunda-feira, 5, de Março de 2001

Seu Negócio

Antigo por fora, moderno por dentro
Empresas de restauração precisam ter foco em cultura e tecnologia

Giselle Andrade


Investir em uma empresa especializada em obras de restauração exige dedicação, conhecimento das novas tecnologias, experiência no ramo e profissionais capacitadas para gerenciar e acompanhar o andamento da obra. Com R$ 50 mil é possível iniciar neste segmento com projetos e consultoria.

Profissionais com bagagem cultural ampla levam vantagem uma vez que, em muitos trabalhos, é necessário adequar projetos antigos às inovações tecnológicas. Terceirizar a mão-de-obra é um recurso para adequar o tamanho da equipe ao volume de trabalho.

Especialistas avaliam que o mercado de arquitetura crescerá nos próximos anos, principalmente em função da necessidade de se valorizar aspectos culturais da cidade. "Além disso, o turismo será o novo "boom" e estimulará a preocupação com a restauração das fachadas e a modernização de interiores. Acredito que ainda nesta década a área do Porto será toda restaurada", completa Eduardo Quaresma, sócio da empresa Lutz Quaresma Arquitetos Associados

-A reforma acontece para ajustar a construção às novas tecnologias do mercado e também para melhorar as condições de trabalho. É importante a empresa preocupar-se com ergonomia. Fazer com que a máquina e o mobiliário adapte-se ao homem e não este aos objetos - explica Antônio Cesar Oliveira, diretor da Acomp, empresa de consultoria

Os projetos realizados pela Acomp são voltados para a área da indústria e shopping centers. "Antes da tecnologia as reformas não mostravam todos benefícios que poderiam ser feitos no imóvel. Agora, com o recurso de softwares como o autocad é possível prever problemas antecipadamente e realizar um projeto quase perfeito", afirma Oliveira.

O faturamento dependerá da quantidade de trabalhos que a empresa dispõe. Em média, seis projetos geram um retorno financeiro de R$ 30 mil mensais. O percentual cobrado pela obra varia de 8% a 20% do custo total do trabalho, dependendo do tamanho do projeto.

- Existem tabelas oficiais e de mercado. Para restaurações em edifícios a empresa fecha um total 6% a 8%. Uma parte vai para a engenharia e a outra para o arquiteto. Sobre o percentual da obra calcula-se o faturamento do escritório. A porcentagem para o serviço em uma casa chega a 20% (10% para engenharia e 10% para o arquiteto) - diz Eduardo Quaresma, sócio da Lutz Quaresma Arquitetos Associados.

Equipamentos
A empresa Prima Opera realiza esse tipo de trabalho há mais de dez anos e executou projetos para a Biblioteca Nacional, Câmara dos Vereadores, Igreja Nossa Senhora dos Mercadores, o telhado da Casa França Brasil e o Palácio Tiradentes.

Segundo Nelson Ribeiro, sócio da empresa, os profissionais capacitados fazem a diferença. -Existem, no mercado, poucas empresas que realizam este trabalho e algumas não dispõem de equipamentos apropriados - diz Nelson.

Em uma licitação pública nem sempre vence o melhor preço. Segundo Nelson, a Lei 8666 exige uma avaliação rigorosa dos participantes. São avaliadas proposta, currículo dos sócios e dos profissionais, além do preço.
O escritório Lutz Quaresma junto a corretora de valores Mercobank, a Petros e a Tropical Varig está com o projeto de restauração do Hotel Serrador. "O Serrador é um marco da cidade e referência", afirma Lutz Quaresma.

- Há cerca de cinco anos surgiu, no Rio de Janeiro, a necessidade de preservar a cultura local. A Tropical Varig estava interessada em um hotel aqui na cidade. A Lutz Associados venceu com a melhor proposta e o objetivo de manter as características da construção - informa Lutz Quaresma. Na Europa é comum reformular todo o interior do prédio mantendo a fachada, informa Eduardo Quaresma. O responsável pela obra tem que preocupar-se com a importância do imóvel para a cidade, expõe.

Nesse projeto serão gastos algo em torno de R$ 40 milhões. "A Mercobank fez a parte financeira e a Lutz o projeto para viabilização", conta.
Para iniciar, a empresa necessita de profissionais gabaritados aliados a uma tecnologia de construção moderna. "Hoje, com o computador é possível criar milhões de informações em um espaço pequeno", diz Eduardo.

O escritório precisa ter, no mínimo, dois profissionais. Uma pessoa toca o projeto e o outra coordena os instaladores elétricos e os engenheiros. Segundo Quaresma, há ainda a possibilidade de terceirizar mão-de-obra. Para ele, o que conta nesta área é o capital cultural que a pessoa tem. Existem segmentos a serem escolhidos na área de arquitetura, segundo Quaresma. Um escritório poderá atuar somente com projetos e consultoria; realizar obras; e ainda dedicar-se apenas ao design de interiores.

Serviço:
Acomp consultoria e treinamento: 445-5444 site: www.acomp.com.br

Perfil profissional

- Saber comandar a obra;
- Ter uma visão voltada para a influência que vai gerar;
- Ser especializado, com conhecimento arquitetônico suficiente para fazer um projeto;
- Dispor de artistas para restauro de obras de arte;
- Comunicar-se bem com os trabalhadores;
- Adaptar o prédio às novas técnicas de ar-condicionado, iluminação e tecnologias;
- Ser multidisciplinar.

Cuidados na obra

Não perder a identidade do prédio;
Conservar as características arquitetônicas;
Adaptar o projeto às novas tecnologias;
Saber o que o prédio representa para a cidade;

RAIO X

EMPRESAS DE ARQUITETURA E RESTAURO

Investimento inicial: R$ 50 mil (fora impostos)
Faturamento médio mensal: R$ 30 mil (média de seis projetos)
Necessidades: Softwares e computadores
Funcionários: Um arquiteto sênior, dois ou três profissionais gabaritados e uma secretária.

Clique aqui para conhecer os Serviços da ACOMP


ACOMP Consultoria e Treinamento
Tel. 55 (21) 2445-5444 - www.acomp.com.br

O site do Empresário !