Gazeta Mercantil 26/08/1999

Metodologia determina local de lojas


Palestra mostra sistema que define lugar ideal para ponto de venda em postos de gasolina

Um projeto para a escolha da melhor localização de lojas de conveniência em postos de varejo de combustíveis será o tema da palestra que acontece hoje, às 19h, no Ibmec. O evento faz parte do programa de MBAs em varejo da instituição e será direcionado aos alunos. A palestra será ministrada pelo professor dos cursos de graduação, mestrado e doutorado do curso de engenharia da UFRJ, Carlos Alberto Cosenza.

Desenvolvido pelo próprio Cosenza, a lógica Fuzzi foi criada para a aplicação em engenharia de produção, determinando a hierarquização de locais para projetos. O sistema é baseado em modelos matemáticos que levam em conta desde aspectos sócio-econômicos a fatores climáticos de potenciais regiões para a implantação de um empreendimento. Além de estabelecer o lugar ideal, o sistema ainda indica a configuração ideal para o negócio. Em setembro, Cosenza exporá o sistema para empresas do setor aeroespacial em Toulouse, na França.

A palestra terá a presença de membros da Federação do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes.

Conveniência

A escolha do tema da palestra reflete discussão do mercado varejista a respeito da atividade das lojas de conveniência em postos de gasolina.

Especialista no setor e diretor da Acomp Consultoria e Treinamento, Antonio César Carvalho aponta um dos principais problemas do setor. 'Houve uma saturação de pontos com o excesso de lojas em algumas regiões, como a Barra da Tijuca', afirma.

Apesar de ressaltar o potencial de negócios neste segmento, Carvalho detecta uma inadequação das empresas de petróleo ao ramo. 'O business de empresas petrolíferas é prospecção, processamento e distribuição de seu produto. Falta assessoria aos lojistas no sentido de estabelecer um mix de produtos ideal', analisa. Ele também aponta a falta de diversidade e a falta de artigos como empecilhos.

Segundo Carvalho, a melhor opção para os donos de postos de conveniência é definir estratégias de micromarketing, relacionadas à localização das lojas e ao perfil dos consumidores. 'Não é possível comparar o público de lojas do Méier e da Barra. O atendimento tem que ser identificado com o perfil do consumidor. O ideal seria a terceirização do atendimento. Um operador de posto não é, necessariamente, um bom lojista.' (A. B.)

Daniel Oiticica

© GAZETA MERCANTIL

Clique aqui para conhecer os Serviços da ACOMP


ACOMP Consultoria e Treinamento
Tel. 55 (21) 2445-5444 - www.acomp.com.br

O site do Empresário !