Parceria é alternativa para enfrentar a concorrência
Associação nos negócios aumentou com dificuldades econômicas

Roberta Cecchetti

   Com a abertura de mercado e o aumento da concorrência que veio no rastro da globalização, um novo tipo de associação foi se consolidando ao longo do tempo: a parceria entre as empresas. Consultores são unânimes em afirmar que no próximo milênio dificilmente existirá um empreendimento totalmente independente. O sucesso de cada negócio dependerá da ajuda mútua entre duas ou mais companhias, ou seja, cada qual suprindo a carência da outra para atingir o objetivo comum: a consolidação e a prosperidade.

Tendência de expansão

  Antônio Cesar Carvalho de Oliveira, da Assessoria Comercial Personalizada (ACOMP), acha que a formação de parcerias completa as empresas. "A parceria completa uma empresa. Há um ganho qualitativo rápido a um custo reduzido e também ajuda a suprir a demanda". O consultor explica que as parcerias são criadas para aumentar a competitividade e reduzir a política de custos.

  "As companhias que estão abertas a esse tipo de relação têm mais chances de sobreviver no mercado. Em épocas de crise, quando o capital está escasso, as parcerias tendem a aumentar e a empresa também ganha mais flexibilidade, abrangendo a área de atuação", conclui Antônio Cesar.

Namoro que deu certo

  Aqui no Rio de Janeiro, um exemplo de parceria que vem dando certo é da padaria Pão do Bairro, especializada em pães e outros produtos de confeitaria congelados, importados da Fargo, com os postos de gasolina da Ipiranga e da Texaco.

  O namoro começou quando a Pão do Bairro não tinha ponto próprio de venda, apenas vendia seus produtos para vários estabelecimentos. Devido à grande demanda pelos pães congelados, o dono da marca, Rodrigo de Castro, decidiu abrir em dezembro de 1997 a uma loja própria, em Ipanema.

  A estratégia adotada para a expansão foi fazer parceria com as redes de postos de gasolina Texaco e Ipiranga. O negócio é feito da seguinte forma: cada posto tem sua loja de conveniência franqueada. Desta forma, é feita uma "franquia dentro de outra franquia".

  O franqueado de uma loja de conveniência compra a franquia da Pão do Bairro e coloca os produtos dentro do estabelecimento. Atualmente, são sete lojas franqueadas nesse sistema. A previsão é de que seja alcançada a marca de 23 subfranquias nas redes de conveniência do posto Ipiranga e 12 na Texaco até dezembro.

  "Começamos importando três toneladas e hoje já passamos para sete toneladas. Pretendo ficar apenas com a matriz e expandir por meio de franquia em lojas de conveniência de postos de gasolina. Todas as novas unidades serão abertas no Estado do Rio e nos municípios de São Paulo, Porto Alegre e Salvador", conta Rodrigo.

  A parceria só funciona quando o acordo traz benefícios para ambas as partes. "Para os postos de gasolina, especialmente, a lojas ajudaram a aumentar o número de clientes e para nós, a garantia de já ter pontos com consumidores determinados é muito bom", avalia Rodrigo.

  "A parceria com a Texaco e Ipiranga está incrementando a expansão da Pão do Bairro. Estamos com nosso crescimento bem direcionado e acredito muito nessa forma de relação", disse Rodrigo, acrescentando que a parceria é uma tendência, especialmente nas "franquias dentro de franquias" e lembra que outros franqueadores, como a Casa do Pão de Queijo, estão indo pelo mesmo caminho.

 

Clique aqui para conhecer os Serviços da ACOMP


ACOMP Consultoria e Treinamento
Tel. 55 (21) 2445-5444 - www.acomp.com.br

O site do Empresário !